Como funciona o Financiamento Imobiliário no Brasil



Nos últimos anos o sonho da casa própria tem sido uma realidade mais próxima para muitos brasileiros, pois o financiamento imobiliário ficou muito mais simples.

As modalidades de financiamento existentes no Brasil são; SFH, SFI e CH.
A principal diferença entre elas é que nas modalidades de SFH e SFI é possível utilizar o  seu FGTS para dar entrada no financiamento ou amortizar a dívida ao longo do tempo, na CH não.

Entenda melhor como funciona cada uma delas:


SFH - Sistema Financeiro Habitacional

Criado pelo governo em 1964, sua taxa de juros costuma ser a menor que a média do mercado, porém há alguns critérios para poder utilizar:

- Apenas imóveis residencial
- Apenas pessoa física
- Valor do imóvel deve ser igual ou inferior a 750 mil para os estados de São Paulo - Rio de Janeiro - Minas Gerais - Distrito Federal
- Valor do imóvel deve ser igual ou inferior a 650 mil para os demais estados do Brasil
- A parcela do financiamento não deve ultrapassar 30% da renda mensal

- Os juros não devem ultrapassar o valor de 12% ao ano
- Prazo para pagamento deve ser em até 35 anos
- Pode ser utilizado a Carta de Crédito 
- Pode ser usado o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) tanto para valor de entrada como para amortizar as parcelas no decorrer do financiamento


SFI - Sistema de Financiamento Imobiliário

Criado em 1997 com objetivo de ser menos restritivo que o SFH:

- O imóvel pode ser residencial, comercial, misto e multifamiliares
- Para pessoa física e jurídica
- Os imóveis devem custar até 10 milhões
- O financiamento não deve ultrapaddar 5 milhões
- Para imóveis comerciais o financiamento é de até 80%
- Para imóveis comerciais o prazo para pagar é em até 30 anos.
- A parcela do financiamento não deve ultrapassar 30% da renda mensal
- Os juros podem ser superiores a 12%

- O saldo FGTS também pode ser utilizado, mas a Carta de Crédito não


CH - Carteira Hipotecária

Nesta modalidade a negociação com o banco fica mais flexivel.

- Não há limites de juros
- Não há limites de valores para os imóveis
- Os bancos definem seus valores máximos e mínimos de financiamento

- Não é possível usar o FGTS

Compartilhe nas Redes Sociais:

0 comentários