Pedalando com sustentabilidade.


Um empreendimento é considerado “sustentável”, quando, resumidamente, ele é aprovado nos seguintes requisitos:

- Ecologicamente correto;
- Economicamente viável;
- Socialmente justo;
- Culturalmente aceito.

Estas condições podem ser utilizadas em outras áreas também, como por exemplo, transporte sustentável e para quem utiliza a bicicleta para outros fins, que não somente o lazer, considera este transporte como o mais sustentável atualmente:

- É ecologicamente correta, pois não polui o meio ambiente como os outros meios de transporte;
- É economicamente viável, pois o investimento inicial é baixo, assim como a manutenção, existindo também a possibilidade de aluguel;
- É socialmente justa, pois em sua maioria, ela é includente;
- É culturalmente aceito, pois apesar de a mídia tratar a bicicleta como um produto de lazer, atualmente, isso tem mudado mais e mais e ela tem sido vista como meio de transporte.


Quer adotar hábitos mais saudáveis e sustentáveis? Use a bicicleta como meio de transporte, lazer, esporte e saúde.

Há vários tipos de bicicletas no mercado. Basicamente, elas são divididas em:

- Urbana (aquela usada p/ transporte na cidade, inclusive de carga);
- Mountain Bike (a mais comum, com pneus largos e com cravos);
- Speed (aquela bike com pneu fininho);
- Híbrida (uma mistura entre a bike speed e a mountains bike).

As mais indicadas para os recém-chegados são as bikes urbanas e híbridas, que têm o quadro com maior distância entre os eixos. Com a maior distância, o ciclista pedala em uma posição mais ereta do que na bike de estrada ou na mountain bike. Essa posição favorece mais a visibilidade e o conforto, mas diminui a performance.
As bikes urbanas e híbridas são muito cômodas de se pedalar. Algumas vêm até com suspensão na frente, o que dá muito mais conforto no trajeto, especialmente em vias um pouco mais esburacadas. No entanto, para uso urbano e recreacional, o amortecedor não é um equipamento extremamente necessário. Os pneus mais largos e amortecedores no selim também melhoram muito o conforto dessas bicicletas. E, por causa da distância entre os eixos, as reações da bicicleta ficam mais lentas, facilitando a condução por parte dos ciclistas iniciantes.
Porém, caso você tenha claro que vai querer andar em estradas em velocidades elevadas (acima de 30 km/h) e quem sabe até participar de competições, você deve optar por uma Speed. Este é o tipo de bike mais exigente de todos. O conforto é bem menor do que o oferecido por qualquer outro tipo de bicicleta Os pneus são estreitos, calibrados com muita pressão, o quadro é rígido e o ciclista vai pedalar mais curvado, para melhorar a aerodinâmica.
Em baixas velocidades, a Speed não é nada cômoda, pois é pouco maleável e o perigo de queda aumenta muito, especialmente em asfaltos de baixa qualidade. Portanto, para o ciclista iniciante, a Speed é um grande desafio. Ela pode, no entanto, proporcionar uma enorme satisfação quando você se familiariza com suas características e está em boa forma física, sendo então capaz de tirar todo o prazer que ela pode oferecer.
O número de marchas em uma bicicleta não é assim tão importante quanto parece. Em qualquer situação, um câmbio com pelo menos sete marchas é mais do que suficiente para o ciclista principiante.
Seja qual for a escolha, o ideal é comprar a bike numa bicicletaria, ou mais atualmente, numa “bike shop”, que vai poder oferecer mais informações e adequar melhor as suas expectativas quanto ao uso que irá fazer da bike. 


Quer saber mais? http://www.euvoudebike.com/

Fonte de pesquisa e textos: http://www.euvoudebike.com/

Compartilhe nas Redes Sociais:

0 comentários